Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Acessos -
Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/jornalpr/public_html/Connections/dbgeral_gersite.php on line 5
162306


Clique aqui para acessar


FACEBOOK

*JORGE DA SILVA SILVA
http://www.facebook.com/PrJorgeSilva

*MÁRIKA SOARES COSTA
http://www.facebook.com/MARIKASOARESCOSTA


Clique aqui e confira as fotos



CLIQUE AQUI E CONFIRA AS FOTOS



CLIQUE AQUI E CONFIRA AS FOTOS


Clique aqui e confira as fotos


Clique aqui e confira as fotos


Clique aqui e confira as fotos


Clique aqui e confira as fotos


Clique aqui e confira as fotos

Clique aqui e confira as fotos


Clique aqui e confira as fotos


 

Bom Dia! Hoje é: 18/11/2018
Politica

Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/jornalpr/public_html/Connections/dbgeral_gersite.php on line 5
IMAGENS DOS 8 ANOS DO GOVERNO LULA
Presidente tomou posse em 2003 e foi reeleito em 2006.
Lula deixa a Presidência com índice recorde de aprovação
.

Presidente Lula e o presidente da China, Hu Jintao, alimentam peixes, na Granja do Torto , durante visita do presidente chinês, em novembro de 2004. Ricardo Stuckert / PR


Ao lado da primeira-dama, Marisa Letícia, presidente Lula toca guitarra doada pelo músico Lenny Kravitz ao programa Fome Zero, em 2005. Ricardo Stuckert / PR


A foto que se tornou símbolo da campanha de Lula à Presidência em 2006 foi feita durante uma visita do presidente à cidade de Lauro Freitas, na Bahia. Lula cumprimentou populares durante a inauguração de residências do Projeto Habitar Brasil. Ricardo Stuckert / PR


Lula ganha bandeira do Corinthians de Alberto Dualib em fevereiro de 2007 . Ricardo Stuckert / Presidência



 

Presidente Lula e o presidente Bush passeiam pela casa de campo do presidente americano, a bordo de carro de golfe, em março de 2007. Ricardo Stuckert / Presidência


 

Presidente Lula marca as costas da então ministra Dilma Rousseff a bordo da plataforma FPSO JK (P-34), no campo de Jubarte, durante produção do primeiro óleo da camada pré-sal, em setembro de 2008. Ricardo Stuckert / Presidência


 

Presidente Lula e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, durante visita ao Projeto Agrário Integral Socialista José Inácio de Abreu e Lima. O projeto funciona na cidade de El Tigre, na Venezuela, em 2009. Ricardo Stuckert / Presidência


 

Presidente Lula e o Presidente da China, Hu Jintao, passam em revista as tropas durante cerimônia oficial da visita de Lula no país, em março de 2009. Ricardo Stuckert / Presidência


 

Presidente Lula deposita flores no memorial erguido em homenagem ao líder indiano Mahatma Gandhi. Ricardo Stuckert / Presidência


 

Em visita a Cuba, em fevereiro de 2010, o oresidente Lula fez a foto do ministro Franklin Martins e do comandante Fidel Castro. Ricardo Stuckert / Presidência


Presidente Lula foi presenteado pelo presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, com um quadro com a foto dos dois presidentes, em março de 2010.  Ricardo Stuckert / Presidência


Lula sobrevoa obras da Usina Hidrelétrica de Jirau, em Rondônia. Ricardo Stuckert / Presidência


Presidente Lula durante visita ao Canteiro Industrial da Transnordestina, em agosto de 2010. Ricardo Stuckert / Presidência


Durante seu governo, o presidente Lula estreitou as relações do Brasil com a África. Foram várias as viagens para países do continente, como a Moçambique (em cima, à esquerda), Tanzânia, Guiné Equatorial (abaixo, à esquerda) e Zâmbia. André Dusek/AE e Roberto Stuckert/PR


Lula e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se cumprimentam na sessão plenária do G20, na Coreia do Sul, em novembro passado, na última participação dele na reunião de cúpula como presidente. Reuters


Lula cumprimenta Dilma Rousseff após o resultado da eleição, que confirmou a vitória da petista sobre o candidato do PSDB, José Serr. Ricardo Stuckert / Presidência


Lula recebe prêmio de Brasileiro do Ano da Revista Isto é em dezembro. Ricardo Stuckert / Presidência


Lula visita vice-presidente José Alencar, que luta contra câncer. Ricardo Stuckert / Presidência


Da esquerda para direita: foto oficial de Lula de 2003, foto oficial de Lula de 2007 e foto tirada em30 de dezembro de 2010. Montagem / Ricardo Stuckert / Presidência

Governar o Brasil é fácil e valeu a pena, diz Lula na BA



Lula brinca com uma bola durante inauguração de 680 unidades habitacionais em Salvador
Foto: Ricardo Stuckert /Divulgação29 de dezembro de 2010 
 
 
 
BRUNO CARVALHO - Direto da Bahia
Em um dos últimos compromissos oficiais como presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva afirmou no final da tarde desta quarta-feira em Salvador (BA) que "valeu a pena passar pela Presidência para poder hoje participar de debates internacionais, e dizer que é facil governador o País. Eles (oposição) sempre disseram que é difícil".
Lula também disse que entrega o cargo consciente de que deixa um legado importante para o País, "mas que ainda tem muita coisa para fazer, afinal de contas, 500 anos de história, a gente nao muda em oito anos. É preciso algumas gerações para consertar o desconserto que foi feito no País".
Lula falou ainda da sua forte ligação com a Bahia e com seu o governador reeleito, Jacques Wagner (PT), afirmando que fez questão de escolher o estado como destino de sua última viagem como presidente. O petista prometeu ainda passar pelo menos um dia de carnaval de Salvador. "Em breve vocês poderão ver o Lulinha se esbaldando no carnaval", disse.
Ele fez as afirmações durante a entrega de 680 moradias do programa Minha Casa, Minha Vida aos proprietários da unidade habitacional Bosque das Bromélias, na capital baiana.
Além do presidente e do governador Jaques Wagner , o ministro das Cidades, Márcio Fortes e representantes de movimentos populares participaram do evento.
 
Homenagem pernambucana
 
Na terça-feira, o presidente chorou durante a festa de despedida organizada pelo governo de Pernambuco, no Marco Zero do Recife (PE). "Não é normal um retirante sair fugido da fome de Caetés, se tornar presidente da República. Isso tem dedo de Deus", disse, em seu último evento oficial no Estado natal.
 
 
 
 
 
 
 
Após último compromisso, Lula deixa o Palácio do Planalto
31 de dezembro de 2010  18h04


 

Lula acena ao se despedir da sede do governo - Foto: Ricardo Stuckert/PR/Divulgação
 
LARYSSA BORGES- Direto de Brasília
Após despachar pela última vez como presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva deixou às 15h53 desta sexta-feira o Palácio do Planalto, em Brasília. Na saída, ele acenou e fez um sinal de positivo para jornalistas da janela do carro.
O último compromisso da agenda de Lula no cargo foi um encontro fechado com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas. No sábado, Lula ainda pode tomar café da manhã com sua sucessora, Dilma Rousseff, antes de sua posse como a primeira mulher presidente do Brasil. A informação, entretanto, não foi confirmada pelo Planalto. Após a transmissão do cargo, Lula embarca às 18h para São Paulo.
Mais cedo, Lula se despediu de servidores do governo e do Palácio do Planalto. Em seu discurso, o presidente brincou e disse que pode simplesmente "sair correndo" e se recusar a entregar a faixa presidencial à sua sucessora. Lula sinalizou ainda a intenção se "dar uma passadinha na Granja do Torto para visitar a companheira Dilma" hoje às 18h ou 19h.


Em avião da FAB, Lula e Marisa Letícia se despedem de Brasília para, em seguida, voarem rumo a São Paulo

Lula diz que pode 'sair correndo' e não entregar faixa a Dilma
31 de dezembro de 2010 


 

Nos últimos atos como presidente esta semana, Lula se emocionou ao falar dos oito anos de mandato - Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
 
LARYSSA BORGES- Direto de Brasília
Em tom de brincadeira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, no último dia de seu governo, que no sábado, ao entregar oficialmente o comando do País para a nova presidente, Dilma Rousseff, pode simplesmente "sair correndo" e se recusar a entregar a faixa presidencial à sua sucessora.
"Amanhã, às 4h, passarei a faixa para a Dilma. Se ela vacilar eu saio correndo, quero ver ela correr atrás de mim na Esplanada, atrás daquela faixa. Por isso é que eu me preparei fisicamente, ela disse que parou de andar, então ela vai estar menos preparada do que eu, fisicamente", brincou Lula ao se despedir de servidores do governo e do Palácio do Planalto.
O presidente ainda ironizou as regalias que deixará de ter a partir deste sábado, quando não mais será o chefe do Executivo federal. "Eu quero ver, na segunda-feira, quando não tiver ajudante de ordens, quem virá trazer os óculos: Dona Marisa, pega meus óculos? 'Vai pegar você!' Ô meu filho, pega um cafezinho para mim? 'Não sou seu empregado!' E a vida continua", disse, aproveitando para reconhecer a excessiva cobrança junto a seus subordinados.
"É engraçado porque eu reclamava muito, e eu quero pedir desculpas a vocês porque eu reclamava dentro do avião, eu reclamava com a agenda, eu reclamava. Quando eu chegada no local, tinha lá um tapetinho vermelho para eu subir, tinha a maquininha de café expresso para eu tomar, tinha um microfone instalado, um copinho d'água. E eu falava: tem gente, que eu não conheço, que está fazendo isso", afirmou.
Falando da sucessora - escolhida por ele por ter trabalhado com ela, conhecer suas qualidades e sua competência gerencial - Lula disse ter "orgulho" da nova presidente e afirmou acreditar que ela poderá fazer "muito mais, porque o carro não está estacionado, o carro está andando". "É só apertar um pouquinho o acelerador, fazer o Guido (Mantega, ministro da Fazenda) abrir um pouquinho a mão, liberar um pouco mais de dinheiro, que a coisa vai fluir com muito mais facilidade", disse o presidente em sua despedida.
 
 
 
 
 
Dilma tem o direito de errar e estarei do lado dela, diz Lula
30 de dezembro de 2010  23h05 


Lula disse acreditar que Dilma fará um governo "excepcional"
Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
 
A dois dias de deixar o cargo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que sua sucessora, a também petista Dilma Rousseff, tem o direito de acertar e errar na Presidência, e que estará ao seu lado para apoiar. Lula concedeu sua última entrevista como presidente à TV Cidade de Fortaleza, emissora da Record no Ceará.
"A única coisa que eu quero fazer é não dar palpite na governança da Dilma. Ela toma posse, ela é a presidente da República, ela tem o direito de fazer o que ela bem entender, ela tem o direito de acertar 100%; se errar, também, ela tem direito. E eu estarei do lado dela apoiando para que ela esteja sempre fazendo as coisas certas", afirmou.
O presidente afirmou ter expectativa de que Dilma faça um governo "excepcional". "Ela está qualificada, ela conhece o Brasil, ela conhece os programas porque ela ajudou a elaborar todos os programas que nós fizemos juntos. Portanto, ela está pegando um carro que não está, como eu peguei, estacionado ou andando de marcha a ré. Ela está com o carro andando a 120 por hora, ela pode apertar um pouquinho, chegar a 130, 140, ela pode chegar a 90 quando precisar", afirmou.
Sobre o fim dos seus oito anos no poder, Lula disse que a sensação é de dever cumprido. "O sentimento é de missão cumprida. Eu acredito que, quando a gente olha o que prometeu em 2002 e prometeu em 2006, me considero um presidente da República que concluí e cumpri com aquilo que eu assumi de compromisso com o povo brasileiro, sabendo que nós fizemos muito, mas sabendo também que ainda falta muita coisa a ser feita no Brasil. Com a consciência tranquila de que você não consegue resolver o desmando de 500 anos em oito anos", afirmou.
Questionado sobre o que não conseguiu realizar como presidente, Lula disse que gostaria de ter inaugurado a rodovia Transnordestina. "O projeto original era para ser inaugurado no meu governo. Agora, é muito difícil, porque você sofre. Você sofre com o Ibama, você sofre com o Ministério Público, você sofre com as disputas processuais, você sofre com uma série de coisas, que uma obra que você poderia inaugurar em um mês, às vezes você leva um ano para inaugurar", disse.
 
Depois da Presidência: família, futebol e chuleta
 
O presidente comparou o processo de deixar o governo à "água assentando em um pote". "Quando morava em Garanhuns, a gente ia ao açude pegar água, pegava água barrenta, separava as fezes da vaca, do cavalo, das cabritas. A gente pegava água com caramujo, com tudo, e colocava num pote para assentar. Aquela sujeira toda assentava e ia tirando com uma canequinha para beber. Então, quando assentar, eu vou sair do governo, daqui a uns seis meses mais ou menos eu vou ter noção", disse.
Lula afirmou também acreditar que terá mais liberdade quando deixar o cargo. "Eu, por exemplo, vou poder chegar em um bar, encontrar um amigo, (...) comer uma chuleta, tomar uma cervejinha, sem a preocupação de que tem alguém com uma máquina fotográfica. Aí, até eu vou querer ser fotografado", disse.
"Faz tempo que eu não tenho uma vida normal. Desde os 30 anos de idade que eu faço política, e você sempre preocupado, reunião no sábado e domingo, dia e noite. Eu nunca tive final de semana com a família, então agora eu vou ter um pouquinho de final de semana com a família, e vou viver um pouco a minha vida, e vou continuar trabalhando", afirmou.
O presidente ainda manifestou desejo de ir aos jogos de seu time, o Corinthians. "Eu quero ir ao estádio, eu quero ir na arquibancada. A minha maior sensação não é ficar numa cadeirinha cativa, não. É no meio do povão, ver o povão batucar, suar, gritar, xingar, e eu também xingar", afirmou.
 
Última obra do impossível foi eleger Dilma, afirma Lula
30 de dezembro de 2010 
 
O PRESIDENTE LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA DISSE DURANTE INAUGURAÇÃO SIMULTÂNEA DE OBRAS EM BRASÍLIA, NESTA QUINTA-FEIRA, QUE "A ÚLTIMA OBRA DO IMPOSSÍVEL FOI ELEGER UMA MULHER PRESIDENTA DA REPUBLICA NESSE PAÍS. É TUDO O QUE NÓS PRECISAMOS", AO FALAR SOBRE A PREPARAÇÃO DO BRASIL PARA RECEBER AS OLIMPÍADAS E A COPA DO MUNDO, JÁ NO GOVERNO DA PRESIDENTE ELEITA, DILMA ROUSSEFF (PT).
"ESTAMOS TERMINANDO O ANO E ENTREGANDO PARA A COMPANHEIRA DILMA UM MOMENTO MUITO BOM PARA A HISTÓRIA DO BRASIL. A COMPANHEIRA DILMA VAI FAZER UM EXTRAORDINÁRIO GOVERNO", AFIRMOU.
LULA PARTICIPOU DE INAUGURAÇÃO DE TRÊS OBRAS POR MEIO DE TELECONFERÊNCIA EM BRASÍLIA. SÃO AS OBRAS DA USINA DE FOZ DE CHAPECÓ, NA DIVISA ENTRE O RIO GRANDE DO SUL COM SANTA CATARINA, DA AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE CAETÉS (PE) E DA TERCEIRA CASCATA DE ENRIQUECIMENTO DE URÂNIO DAS INDÚSTRIAS NUCLEARES DO BRASIL EM RESENDE (RJ).
AO FALAR SOBRE INAUGURAÇÃO DE POSTOS DE ATENDIMENTO DA PREVIDÊNCIA, ONDE, SEGUNDO O PRESIDENTE, "ACABARAM AS FILAS", LULA DISSE QUE TERMINA O GOVERNO COM A INGRATIDÃO DOS PERITOS QUE ENTRARAM EM GREVE REIVINDICANDO MAIORES SALÁRIOS. "ELES FORAM INGRATOS. TIRAMOS ELES DE UMA SALÁRIO DE R$ 2 MIL PARA R$ 14 MIL".
O MINISTRO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, CARLOS GABAS, DISSE QUE O GOVERNO CONSEGUIU FAZER UM ECONOMIA DE R$ 750 MILHÕES COM A MUDANÇA NA FORMA DE PAGAMENTO DOS BENEFICIADOS E LEVANTAMENTOS. "CONSEGUIMOS ACABAR COM A FILA, HUMANIZAR O ATENDIMENTO CORRETO E ATENCIOSO PARA O APOSENTADO", DISSE.
"AS PESSOA PODEM PENSAR QUE SÓ ESTÃO INAUGURANDO A AGÊNCIA EM CAETÉS, 'SÓ PORQUE É A CIDADE DO PRESIDENTE'", DISSE O MINISTRO AO JUSTIFICAR QUE A IMPLANTAÇÃO DA AGÊNCIA OBEDECEU O CRITÉRIO DE SER UMA CIDADE COM MAIS DE 20 HABITANTES. "É CLARO QUE DEIXAMOS POR ÚLTIMO POR PARA QUE O SENHOR PUDESSE ESTAR PRESENTE", AFIRMOU.
AO FALAR SOBRE AS INAUGURAÇÕES DO SETOR ENERGÉTICO, LULA DISSE QUE O BRASIL VENCEU O DEBATE SOBRE A "QUESTÃO DA ENERGIA LIMPA". "O BRASIL TEM AUTORIDADE MORAL E POLÍTICA PORQUE NINGUÉM TEM A QUANTIDADE DE ENERGIA LIMPA QUE O BRASIL TEM", DISSE O PRESIDENTE. SEGUNDO ELE, SERÁ MAIS IMPORTANTE "ENSINAR" OUTROS PAÍSES DO QUE OUVIR "PALPITES" SOBRE A PRODUÇÃO ENERGÉTICA.

 



 

SÃO PAULO - Em São Bernardo do Campo, Luís Inácio Lula da Silva saiu na sacada do apartamento do prédio onde mora, por volta de 12h30m, para acenar a um pequeno grupo de militantes vindo de Ribeirão Preto, no norte paulista, esperando abraçar o ex-presidente. A primeira a aparecer na sacada foi a ex-primeira dama Marisa Letícia, que chamou o marido após ouvir o barulho dos cinco militantes petistas, que gritavam o nome de Lula e cantavam jingles de suas campanhas políticas. Uma das militantes cantou inclusive "Como é grande o meu amor por você".
O presidente estava de camiseta regata azul e bermuda e acenou para o grupo, que, apesar da chuva, permanece na frente do prédio aguardando uma possível saída de Lula.
 
 


 

Em avião da FAB, Lula e Marisa Letícia se despedem de Brasília para, em seguida, voarem rumo a São Paulo
 
De camiseta e bermuda, Lula acena a militantes petistas da sacada do apartamento em SP
Plantão | Publicada em 02/01/2011 às 13h04m
Karina Lignelli
Retornar 
Copyright @ 2008 - Todos os direitos reservados.